BUSCAR NO BLOG

Carregando...

Dicas para se divertir na balada sem uma gota de álcool

Beber e dirigir nunca formaram uma boa dupla, todo mundo sabe. Mas muita gente só começou a entender isso à força, com uma Lei mais rígida em relação à dirigir embriagado. Para os mais novos “conscientes”, aqui vai uma boa dica: como se divertir na balada sem ingerir uma gota de álcool! Tomem nota:
Dançando com os sóbreos!
Se você gosta de dançar (ou se não tem nada contra a idéia), prefira lugares que tenham um bom som pra você se acabar na pista. Salsa, samba-rock, forró, funk, eletrônico, sertanejo… Dance o máximo que puder! Se não sabe, aprenda. Se sabe, arrase. Aproveite enquanto não existe um bafômetro que capta a endorfina que você libera se exercitando!
Chame o palhaço
Toda turma tem aquele amigo com dom de bobo da corte. Ainda bem! Traga-o sempre a tiracolo. Um amigo engraçado vale por duas caixas de cerveja e/ou 5 doses de whisky! Estar rodeado de pessoas legais é muito mais importante do que cachaça.
Explosão de sabores
Comer também é fonte de prazer. Então, sem exageros pra não engordar, experimente novas guloseimas. Visite lugares famosos por seus petiscos e pra beber… sucos naturais! Eles são nutritivos e só têm a fazer bem para o seu organismo. Bebidas energéticas também podem quebrar seu galho.
Embriague-se de amor!
Pra que beber se você pode beijar? Ninguém gosta de pegar bêbado, então estar sóbreo é um ponto positivo a mais pra você na hora da conquista. E já que não tem a desculpa de estar bêbado, converse coisas interessantes. E o melhor: você vai lembrar da conversa no dia seguinte!
Rindo da desgraça alheia
Não há nada melhor que rir das bizarrices de quem exagera na bebida. Eles falam o que não devem, fazem o que não têm coragem normalmente e agem de forma ridícula! Já que você estará sóbreo, aproveite pra rir dos manguaças (e se possível gravar para pôr no YouTube)!
É tão óbvio que bons momentos da vida são mais bem curtidos quando você está com 100% da sua capacidade de raciocinar funcionando… O importante não é beber… O importante é se divertir! E o melhor: nada de ressaca no dia seguinte!

Fonte: http://dicadodia.com

Moda esportiva feminina – Como se vestir bem na academia

Vestir-se bem é uma soma de conforto com bom gosto. A roupa deve se adequar ao ambiente onde vai ser usada. É por esse motivo que existem coleções para dias quentes e frios.


Na academia não é diferente. Lá, você vai se movimentar e transpirar, portanto, você deve optar por peças leves, arejadas e que permitam que você se movimente livremente, sem dificuldades.


Veja algumas dicas de como se vestir bem na academia

  1. Se você possui pernas curtas, pode optar por shorts curtinhos ou bermudas. Se possui pernas finas, vista uma calça de moletom ou de um tecido adequado para prática de atividades físicas, sempre em cores claras. Já para quem possui pernas grossas, o ideal é uma calça de cor escura de comprimento abaixo do joelho.
  2. Paras as mulheres que têm muito busto, uma boa dica é usar tops que proporcionem uma boa sustentação por baixo da camiseta.
  3. Mulheres mais cheinhas, que são maioria nas academias (até porque é um espaço onde as pessoas vão para entrar em forma), devem evitar calças que possuam elástico na cintura, pois marcam as imperfeições. Evitar também cores claras e vivas, optando sempre pelo preto, marrom e azul marinho.
  4. Baixinhas devem evitar peças com listras horizontais e calças amplas, pois achatam a silhueta. Prefira calças e tops mais justos e com estampas verticais.
  5. Qualquer que seja o biotipo, deve evitar: perfume com cheiro forte, munhequeiras, brincos grandes, colares e pulseiras, laços na cabeça, peças cavadas de natação.


Fonte: http://garotabeleza.com.br/moda-esportiva-feminina-como-se-vestir-bem-na-academia/#ixzz37XdZYPk4

Autoestima é a maior aliada da nossa saúde

Autoestima é a maior aliada da nossa saúde: sentimento funciona como uma vacina no organismo.



A maior aliada da nossa saúde é a autoestima. Com ela em alta é como se você estivesse vacinada contra todos os tropeços, curvas fechadas e declives prolongados que a vida nos oferece. Com a autoestima presente, a gente se sente dona do nosso corpo, da nossa alma e das nossas emoções. E ainda, capaz de driblar ou suportar as crises, as emoções fortes, as dores e as doenças.

Sabemos que não podemos controlar o que acontece no mundo, os desastres ecológicos, os altos e baixos da economia ou o coração de alguém que queremos conquistar. A única coisa que eu posso ter controle, que me pertence e por quem sou totalmente responsável, sou eu mesma. Se estou de bem comigo mesma, se me admiro, se me respeito e gosto da minha companhia, já é meio caminho andado para um quadro de vida saudável.

Vários estudos têm indicado que a maioria das enfermidades acontecem quando estamos com a imunidade em baixa. E a imunidade tem muito a ver com nossa autoestima. Tem a ver com prestar atenção às nossas emoções, aos nossos limites, e saber ouvir seu corpo quando ele pede um descanso, um alimento ou um movimento.

Quando estamos muito desconectados de nós mesmos, nem percebemos nosso cansaço. Comemos coisas que não nos fazem bem e escolhemos pessoas erradas e lugares desagradáveis para estar. Viramos uma bola de neve de negatividades e fazemos tudo em desacordo com nosso bem estar. Acontece que a maior parte das pessoas nem sabe perceber se tem uma boa autoestima e, se acha que tem, se confunde com ego em alta ou orgulho em demasia.

A autoestima tem mais a ver com paz interior, tranquilidade nos pensamentos e uma percepção de se sentir presente dentro de você. Se você não sabe do que estou falando, que tal tirar uns dias para ficar com você mesma? Pode ser num lugar bonito na natureza ou na sua casa. De repente, botando em ordem as suas coisas e jogando fora o que não interessa mais. Ficar com você mesma é um ótimo caminho para começar a fazer as pazes com você. Abrace essa ideia. Eu garanto que só vai te fazer bem!

Patricya Travassos escreve todas as quintas-feiras no site do GNT